sábado, 2 de setembro de 2017

Monte Bianco

   Monte Branco,  polvilhado de açúcar e envolto em algodão doce ...


Sentia, neste dia,  um misto de emoções.
Por um lado a ansiedade de subir e me deixar invadir pela mistura de sentimentos que a natureza desperta em mim. Por outro,  o receio de me sentir indisposta devido à altitude.
É mais que sabido por quem me / nos conhece,  como adoramos e nos sentimos bem na Natureza e o quanto gosto de registá-la na minha câmara e,  se sinto e vivo todos os momentos  como se fossem mágicos,  este tinha um sabor especial.
As montanhas fascinam-nos, gostamos do desafio de as conquistar superando cada obstáculo e maravilhando-nos com a paisagem que se vai descortinando a cada passada. Contudo não era aqui o caso, o que me deixava,  expectante  era a altitude que esta subida  nos iria proporcionar. Nunca antes estivéramos tão pertinho do "céu "  E foi no Sky Way que partimos ao encontro da imensidão dos picos dos Alpes.




 Por volta das nove da manhã estávamos na fila prontinhos para adquirir os bilhetes.
São muitos os turistas que sobem e descem num vai e vem interrupto.
 Nós subimos  logo à abertura e descemos no ultimo teleférico , não pelo investimento  mas pela sensação sentida, pela beleza admirada, pelo fascínio das montanhas.

 " O Skyway Monte Bianco é um teleférico revolucionário, recentemente aberto ao público no Vale de Aosta em Courmayeur, na Itália. 
Graças a uma capacidade de rotação de 360 graus, esta maravilha da arquitetura oferece aos mais exigentes visitantes vistas panorâmicas deslumbrantes sobre o pico mais alto da Europa – o Monte Branco.O Skyway é um extremo desafio de engenharia que nos transporta a 3500 metros em apenas 15 minutos, sobre o gelo eterno do Monte Branco. O novo teleférico mergulha o visitante numa paisagem de tirar o fôlego, graças às suas cabines rotativas. Dispõe de três estações com restaurantes e bares.Segundo o arquiteto Carlo Cillara Rossi, responsável pelo projeto, “o Skyway nasceu para oferecer às pessoas uma nova experiência, a experiência de conquistar a montanha.”A estação de embarque fica a cerca de 1300 metros. O teleférico pára depois a meio caminho no Pavillon du Mont-Frety a 2170 metros. Aqui, temos um ponto de vista magnífico com varandas em vidro, restaurantes e lojas.O teleférico continua em seguida até ao topo, o pico Helbronner, a 3.466 metros. No “ninho das águias” encontramos um imenso terraço com vistas deslumbrantes sobre o Cervino, Monte Rosa, Gran Paradiso e toda a paisagem ciucundante.A estrutura está equipada com um sistema de veículos de socorro que podem chegar às cabines do teleférico em caso de acidente. Já não teremos de fazer descer os turistas com guinchos e cordas.O vidro usado é capaz de resistir a ventos de grande potência, normais a esta altitude, que atingem por vezes os 200 quilómetros por hora. O preço de uma viagem de ida-e-volta ao pico Helbronner é de 45 euros."
Euronews Nelson Pereira " 


E aí vamos nós, para trás ficava Courmayeur a 1.300 metros 


Uns  sobem, outros descem ...


Chegados ao Pavillon du Mont Fréty a 2.173 metros de altitude. Esperava-nos além da belíssima paisagem,  o Jardim Alpino , restaurante,  bar, sala de conferencias, e cinema com capacidade para 150 pessoas, a cave laboratório  Mont Blanc,  lojas , um parque infantil e uma zona de descanso para todos. 





 Após almoçarmos e desfrutarmos, seguimos a recta final. Para trás ficava Mont du Fréty


A acompanhar-nos uma paisagem indescritível. 
Estávamos a caminho do tecto da Europa Ocidental, iríamos ver de perto o segundo ponto mais alto da Europa. Mont Blanc, sendo o terceiro lugar natural mais visitado do mundo. E eu estava maravilhada...





E assim estávamos quase no topo do mundo...


Como somos tão pequenos perante a natureza ...

Sem comentários:

Enviar um comentário